United Soul Brothers: “A nossa única droga é a música”

Ainda não se terem cruzado com a dupla United Soul Brothers em algumas das suas maravilhosas noites será apenas um triste acaso. Seja como United , Fred Perry, ou em nome próprio, mais do que uns “gajos da noite” são uns verdadeiros workaholics, onde a música parece ser o seu verdadeiro descanso. Das matinés de há 15 anos até aos grandes palcos da noite nacional da actualidade, sempre quiserem marcar pela diferença e educar com boa música os ouvidos dos bracarenses.
Ao fim de todos estes anos eles vão sendo ainda comandantes do seu barco, e do seu estilo único.
Agora a Badio vai mostrar, os United Soul Brothers não em samples ou beats, mas em palavras:

Badio – Afinal quem são estes dois irmãos de alma? Como começou esta aventura?
USB – Bem essa é a pergunta da praxe! Ambos tinhamos carreiras anteriores aos United Soul Brothers, eramos amigos e compravamos discos na mesma loja! Antigamente a loja de discos era o ponto de encontro de muitos Djs (que saudades desses tempos), e após varias conversas e milhares de euros gastos em discos (risos) decidimos apostar num projecto em conjunto e já lá vão 7 anos de grandes aventuras… Curiosamente um ano depois descobrimos que fazemos anos no mesmo dia…
Badio –  A noite de Braga começa a denotar alguma evolução. Sentem a responsabilidade de ter nas vossas mãos a missão de apadrinhar mais uma tentativa de todos os que lutam pela boa música por cá?
USB – Sim claro que sim… todos os artistas que como nós gostam de boa música devem unir-se no sentido de fazer chegar a mensagem a um publico mais alargado. Apesar de notarmos que existe uma evolução na cena noturna da cidade, ainda ha muito por fazer.

United Soul Brothers 03

“a música requer uma pesquisa diária para nos mantermos actuais”

Badio –  O que podemos esperar desta nova vaga de tentativas para mostrar que de Braga tem de bom?
USB – Esperamos sinceramente que venha demonstrar que Braga é uma cidade jovem, bonita e com cultura. No que nos concerne tentaremos sempre encarar os desafios de forma adulta, coerente e profissional e daremos sempre o melhor o nosso contributo.

Badio – A noite de Braga conta com uma oferta diversificada de programas. O vosso estilo tem já história neste panorama. Se tivessem que convencer alguém a ir ouvir-vos, o que diriam?
USB – Numa altura em que cada vez mais estamos apostados em tocar coisas diferentes provavelmente diríamos algo do género :

Gostas de jazz,bossa, indie, deep house, deep tech, tech house, techno?
Se sim…podes vir dançar connosco… de certeza que ouves uma bela mescla de tudo isso na mesma noite (risos)

 

United Soul Brothers 02

As volumosas malas carregadas com discos em vinil são uma marcas que distinguem os USB

Badio – Olhando agora para o vosso percurso, nunca deixaram de explorar a versatilidade da electrónica e acabam sempre por abraçar outras influências, do jazz ao , bossa, indie, deep house, deep tech, tech house, passando obviamente pelo mais puro soul . O que vos falta ainda explorar?
USB – Sinceramente falta explorar muita coisa! A música esta sempre em constante mutação e cabe-nos acompanhar tendências, descobrir o passado e tentar inovar no futuro. Desenganem-se os pseudo experts, que pensam que são os donos da verdade pois a música requer uma pesquisa diária para estarmos sempre actuais e tentarmos mostrar coisas diferentes. Apesar das novas gerações teimarem em resistir ao que não é Main Stream, cabe a pessoas como nós fazer chegar até esse publico outra visão da cena electrónica.

Badio – Nesta longa carreira na noite, não devem faltar histórias… o que de mais estranho já vos aconteceu?
USB – Bem realmente já passamos por muitas situações caricatas! Desde Festivais sem o mínimo de material para tocarmos, a clubs onde o ambiente era completamente surreal, bilhetes de avião perdidos, correrias em aeroportos… enfim foram tantas as situações… As mais engraçadas são sempre as provocadas pela carência de sono ou pelos excessos do Deus Baco…

Badio – A noite tem um lado negro, onde são frequentes casos de droga e outras ilegalidades. É fácil resistir a atravessar essa fronteira?
USB – Ilegalidades e drogas sempre existiram, isso não é novidade. Para nós isso nunca foi um problema, é fácil resistir porque tomamos desde cedo um posição firme em relação a isso. Na Noite como em outras áreas artisticas o acesso é fácil, só usa quem quer e da forma que quer. Não criticamos quem o faz, mas a nossa única droga é a música…
Badio – No que à música diz respeito, o que esperam que este Verão vos proporcione? Quais são os grandes planos para os próximos meses?
USB – Apesar de ser difícil fazer planos atendendo à conjuntura actual, esperamos ser convidados para boas festas, em bons clubs ou festivais, mas sobretudo festas onde a boa música seja o aspecto mais importante. Iniciamos há pouco tempo um conceito de festa mais restritas, com música predominantemente tocada em vinil, com convidados nacionais de grande valor, e claro esperamos que seja bem aceite pelo publico. Estejam atentos que em breve teremos mais novidades.

United Soul Brothers 05

“Há uma evolução nocturna na cidade, mais ainda muito a fazer”

Badio – Qual o espaço que sonhavam tocar? E com quem?
USB – Seriam não um mas vários os espaços que sonhamos tocar. Obviamente o LUX em Lisboa, o DC10 (Ibiza), Watergate (Berlim), Panorama bar (Berlim), WOMB (Toquio). Os artistas que seguimos, de quem colecionamos discos, e de quem gostamos são tantos que é mesmo difícil escolher. Felizmente durante todos estes anos já tivemos o previlegio de partilhar a cabine com alguns deles. Ainda assim podemos destacar Dyed Soundorom, Shonky, Dixon, Dan Ghenacia, Todd Terje, Jimpster, Chez Damier, Kerri Chandler, Molly, Nina Kraviz…

Badio – Agora e como não podia deixar de ser: Quanto é que a Fred Perry vos paga pela publicidade? (risos)
USB – Infelizmente nunca fomos abordados nesse sentido pela marca, o que não invalida que possa vir acontecer. Conhecemos a historia da marca acabamos por nos render às coleções que ano apos ano iam aparecendo. A quantidade de peças diferentes que tínhamos até levou muitas pessoas a chamar-nos “Fredinhos” (risos).

B.I.

Clube de futebol: SL Benfica

Prato Preferido: Technics 1210 mkII LOOOL (Prato significa gira discos para os djs)

Emidio: Francesinha
Albano: Canelones à moda da Ana

Bebida Preferida:  Emidio: Safari cola / Albano: whisky

Hobby (além da musica): somos colecionadores compulsivos de vinyl!

Onde costumam Badiar por Braga: Mirante, Reset, D Rosa, Bo zen, sardinha biba,Juno.

Share on Facebook133Tweet about this on TwitterShare on Google+0

Be first to comment