Luís Rufo: “São horas de negociar”

A culpa será sempre da bicicleta. Luís Rufo andava à procura duma quando estava no Brasil a fazer a pós-graduação. Aí, encontrou um grupo de estudantes de intercâmbio que disponibilizavam os objectos que não podiam trazer de volta para Portugal. Luís percebeu que da sua necessidade poderia nascer uma ideia de negócio. Meteu mãos à obra e decidiu criar o “Negócios na Hora”, uma plataforma de venda de artigos usados que funciona exclusivamente através do Facebook. O bracarense licenciado em direito juntou 3 amigos e resolveu aplicar a ideia em 3 distritos: Braga, Porto e Viana do Castelo. O sucesso foi tal que hoje a rede estendeu-se a 11 distritos, conta com mais de 350.000 utilizadores e a cada 3 segundos um novo anúncio é criado. Quem faz a validação de cada um deles é Luis Rufo, com quem falamos para saber até onde pode ir esta ideia que revolucionou o e-commerce nacional.
Badio – Confirmas? A grande culpada desta aventura foi a tua bicicleta?
LR – Sim, no Brasil era habitual os alunos iram de bicicleta para a faculdade. Eu achei que seria interessante ter uma. Procurei uma nos sites brasileiros, mas todo o processo de compra era longo e complicado. Acabei por encontrar esse tal grupo de intercâmbio e a compra foi simples e rápida. Resolvi replicar o modelo cá em Portugal com a ajuda de 3 amigos e 3 amigas usamos a nossa rede de contactos e, em 3 meses chegamos aos 40.000 membros. Não tínhamos a perspectiva de chegar tão longe, sobretudo porque nunca fizemos publicidade.

luis rufo -  negocios na hora

“Comprar e vender aqui é fácil, rápido e seguro. Estes são os nossos trunfos”

Badio – Acabaste por revolucionar um pouco o modo como as pessoas pesquisam, vendem e compram…
LR – As pessoas gostam que o processo seja feito no facebook, mas percebemos que a maior vantagem foi a rapidez e segurança proporcionada pelo próprio facebook: eu envio mensagem, posso ver o perfil da pessoa a quem a enviei, essa pessoa recebe e a mensagem e responde de imediato, o canal é muito eficaz. Para além disso, fazer um anúncio é super fácil! Fácil, rápido, seguro! Foi isso que nos permitiu crescer. Mesmo com as limitações do facebook, que não organiza os itens por categorias, não permite dar feedback ao vendedor/comprador, não permite dar destaque a um anúncio… este mês vamos chegar aos 400.000 utilizadores.
Temos 1500 anúncios por dia, isso dá mais ou menos um por minuto, o que é cerca de um décimo do que tem o OLX, que é uma multinacional com centenas de trabalhadores e milhares de euros investidos em publicidade. Nós neste momento somos dois programadores e uma designer.
Badio – Presumo que estejam a trabalhar na próxima etapa do Negócios na hora…um site próprio?
LR – Sim, lá continuaremos a ter as vantagens que referi atrás, mas sem as limitações do facebook, ou seja, teremos organização por categorias, possibilidade de feedback, destaques, etc… Os grupos no face continuarão a funcionar como montra, mas com o site o utilizador poderá ter o melhor dos dois mundos.

luis miguel rufo

“Já me apareceram anúncios a vender amigos, papagaios, mangustos e baloiços sexuais”

Badio – Há algumas semanas o Ebay emitiu um alerta por causa duma violação de segurança, convidando todos os seus membros a mudarem as passwords. Numa altura em que ainda há muita gente a ter receio de fazer compras online, que conselhos darias a quem nunca o fez?
LR – Os Negócios na hora combatem esses receios eficazmente. Ao longo destes últimos 20 meses, constatei que 90% dos utilizadores fazem o negócio em mãos. Os grupos estão organizados por distritos, por isso nunca se percorre grande distancias para fazer a transacção. Por outro lado, podes sempre ver o perfil do comprador ou vendedor, ver se tem amigos em comum, etc… No site vamos implementar um sistema de rating de utilizadores, baseado no feedback que estes recebam após a venda. Esta será uma novidade nacional, pois o OLX e o Custo Justo não tem sistema de rating.
Badio – Tiveram algum contratempo na implementação do projecto?
LR – Correu tudo muito bem. Eu dedico cerca de 7 horas por dia ao projecto. Todos os dias. As pessoas gostaram e foi sempre crescendo…neste momento já vamos em 11 distritos. A maior dificuldade é mesmo a monitorização dos 1500 anúncios diários…
Badio – Quem é que faz a validação desses anúncios?
LR – (suspirando) sou eu, sozinho. Sim, é cansativo.
Badio – Já te apareceu algum artigo mais…bizarro?
LR – Sim, isso é normal. Esta semana apareceu um a vender um amigo. Outro, um pokemon…alguns eu deixo passar, porque são engraçados. No caso de animais, não permitimos a venda (apenas doações), houve uma altura em que apareceram cobras, mangustos, papagaios. Mas vende-se de tudo, lembro-me dum baloiço sexual, de carteiras de senhora a 6500€… aparece de tudo.
Badio – A nível local, achas que Braga é uma cidade atractiva para inicar projectos semelhantes?
LR – Braga está na moda. Tens o pólo do Factory, o do StartUp no GNRation, tens várias pequenas empresas de sucesso…tudo isso criou um micro-cosmos interessante e uma das figuras à frente disso é o Tiago Sequeira. Neste momento, não falta apoio a novas ideias, faltam é investidores.
Badio – O que te vês a fazer daqui a 10 anos?
LR – Eu quero muito que isto resulte. Queremos ver o site a crescer. Mas não temos pudor nenhum em daqui a 3 ou 5 anos vender o Negócios na Hora, pegar no dinheiro e avançar para a próxima ideia. A minha vontade é ser empreendedor em série. Comecei tarde, mas acho que ainda vou a tempo. O regresso ao Brasil não está posto de parte, gostei muito de trabalhar lá.

 

 

B.I.
Clube de futebol: Benfica
Bebida: sumo de laranja
Prato: arroz de pato
Badiar em Braga: Lapa, Casa das Carvalheiras, Estúdio 22, Sardinha, Dona Rosa
Lema de vida: “I rather be lucky than good” (Woody Allen)


Comments are closed.