Lídia Dias: ” A Braga Romana é apaixonante”

Com já 12 edições a Braga Romana constitui não só uma atracção de grande impacto turístico na cidade, mas também uma das marcas do pelouro da cultura. Que novidades podemos esperar para a edição deste ano?

Reviver Bracara Augusta constituiu-se já como um evento de atração turística, único na região. A nossa preocupação é fazê-lo crescer de forma equilibrada nunca descurando a parte pedagógica e do conhecimento aliado a uma componente de animação e de entretenimento. Este ano o desafio foi oferecer 5 dias à cidade de atividades e ações onde cada um tem oportunidade para se enriquecer culturalmente, conhecendo o património romano e conviver à boa maneira dos bracaraugustanos.

lidia dias - braga romana 2015 02Quantas pessoas estão envolvidas na organização do evento?

Um evento deste envolve inúmeras Instituições e Entidades sendo todas elas parte muito  importante. O núcleo duro da organização é o Pelouro da Cultura que, muito embora reduzido, é absolutamente empenhado e dedicado. Eu diria que temos quase a totalidade dos serviços da Câmara Municipal envolvidos. Este é, sem dúvida alguma, o maior acontecimento com exclusiva organização da Câmara. Tenhamos como exemplo os momentos dos cortejos, dos quais, um deles, envolve, aproximadamente, 5500 pessoas. Exige-se uma articulação plena e harmoniosa entre todos os serviços. Ao longo de 5 dias, coordenar equipas de apoio ao evento, requer um controlo efetivo das diferentes áreas, das atividades, da segurança, dos diferentes intervenientes. O que se poder observar em 5 dias, é, na verdade, o acumular e o culminar de um trabalho prévio, realizado ao longo de todo o ano.

Com a proliferação de feiras medievais e eventos de recriação histórica, muitos acabam por desvirtuar o significado que lhes deu origem. Que preocupações existem para manter esta Braga “o mais romana possível”?

A “Braga Romana” caracteriza-se por tentar ser mais fiel possível com aquilo que foi Bracara Augusta, daí que o nome do evento seja “Reviver Bracara Augusta”. Os nossos regulamentos são muito precisos, pois cientificamente somos bem suportados pelo Museu de Arqueologia D. Diogo de Sousa, pelo Gabinete de Arqueologia da CMB e pela Unidade de Arqueologia da Universidade do Minho. Entendemos que o rigor é fator de atração, baseado num conhecimento histórico e arqueológico que nos permite sermos tão fiéis como pedagógicos. Se queremos que a Braga Romana seja instrumento de educação para que as pessoas saibam como viviam os romanos há 2000 anos atrás, temos de criar as condições para que essa aprendizagem seja verdadeira e exata. E acreditamos que esta é a chave do futuro e do sucesso da Braga Romana, pois a autenticidade e a veracidade histórica de Bracara Augusta, só nós é que a temos e só nós é que a podemos proporcionar. Por isso, esta pode ser uma viagem no tempo, a partir do presente, com uma enorme projeção no futuro.

Que papel tem o evento na divulgação do património da cidade?

A Braga Romana só existe pela herança de Bracara Augusta, que hoje se constitui num conjunto de materialidade que formam património de interesse cultural. Pretende-se educar pelo património, para que as gerações percebam de onde vêm e como isso influencia o seu futuro. Admitindo que muitas vezes é difícil interpretar um conjunto patrimonial, que não obstante o seu valor, é constituído por uma ruína, temos de reinterpretar a maneira de levar as pessoas a conhecer e a valorizar o seu passado e as suas heranças. A Braga Romana é fator de conhecimento e de educação a partir de uma forma simples e divertida.

lidia dias - braga romana 2015 01Em edições anteriores surgiram algumas críticas de comerciantes relativamente à localização do evento. É possível conciliar os interesses comerciais sem sacrificar a verdade histórica?

Temos de estar conscientes que organizar este evento em pleno centro histórico é um desafio. Temos presente a importância que é organizar um evento mesmo sabendo que, por vezes, não conseguimos agradar todos. Tentamos, com bom senso, equilibrar todas as partes que estão envolvidas. Para nós, era imperioso devolver a Braga Romana aos lugares que lhe são naturais e onde ela realmente está implantada. Colocando o foco atrativo noutras praças e chamando as pessoas para aí estamos a fazer esse trabalho. Há, ainda, uma visão instalada de querer fomentar o seu negócio, sem estar consciente da mais-valia global, isto é, para a cidade. Com a veracidade histórica e dando mais rigor ao evento, as pessoas que procurarem a Braga Romana vão estar mais imbuídas no espírito da época e isso será sempre fator de atração ao negócio. É uma aprendizagem que tem de ser feita com algum tempo de experiência no terreno.

Pode a Braga Romana ser um complemento mais lúdico ao que os alunos aprendem nas aulas de história? Falta esta vertente ao ensino tradicional?

Do ponto de vista escolar, temos percebido que a “História”, enquanto ciência, tem sofrido um paradigma semelhante ao da matemática. Há alunos com grandes dificuldades em perceber a sucessão de acontecimentos numa linha de tempo, que marcaram a história da Humanidade. O ensino da História precisa destas visitas de campo, da interação dos alunos com os monumentos, com os locais e com os artefactos.

As escolas que participam na Braga Romana proporcionam isto mesmo…Têm trabalho feito com os alunos, que os envolve, de uma forma simpática, no seio da matéria. Temos a participação de inúmeras escolas que com os seus professores desenvolvem, nos diferentes anos, excelentes projetos de investigação. O desafio é que mais escolas se associem e percebam as potencialidades que tem em se envolver e em participar.

lidia dias - braga romanaQual a participação da comunidade na realização do evento?

A comunidade está imensamente envolvida e de diferentes formas. Hoje, dá gosto ver os estabelecimentos comerciais decorados com motivos romanos; é um enorme regozijo ver as equipas de estabelecimentos de restauração vestidos como romanos; é emocionante assistir aos cortejos das escolas e das associações; É impactante ver uma moldura humana densa a assistir a estes cortejos. A comunidade faz, da Braga Romana, um sucesso.

Há espectáculos para os mais novos, mas também casamentos, caminhadas e, este ano, até um funeral. O objectivo passa por chegar a todos os públicos? 

Temos a preocupação de construir um programa cultural que chegue a todos os públicos, mas queremos, sobretudo, enlevar um programa que prime por mostrar o quotidiano na época romana. Para conhecermos a vivência dos romanos, temos de sentir como é andar nas calçadas, as emoções das festas dos casamentos e como lidavam com a morte. Por isso, temos a certeza, que criamos um sentimento de união e inclusão em torno da Braga Romana.

Podemos afirmar que o grande desafio da Braga Romana é que o visitante perceba que este é um evento de recriação histórica e não uma “feira de comes e bebes” com lutas de gladiadores?

Sim, é nosso desejo que seja um evento educativo, lúdico, pedagógico e social. Pela gastronomia também educamos, mas não queremos que seja o único motivo para visitar e frequentar a Braga Romana.

lidia dia e ricardo rio braga romanaGerir uma equipa e os seus recursos e ser responsável pela organização de um evento desta dimensão é uma tarefa que encara com a serenidade dum imperador ou a fúria dum legionário?

Boa pergunta! O mais importante, para que tudo corra bem, é a relação que estabeleço com a equipa e com todos aqueles que com ela se relacionam. Confio no profissionalismo da minha equipa e a sua capacidade de dedicação é notável. Tenho também a confiança do meu Presidente quando chega a hora de fazer escolhas e tomar decisões. O princípio do bom senso para mim é fundamental, obviamente que há momento mais críticos mas mesmo nesses temos que ser lógicos e ponderados e atuar sempre em prol do bem maior que é o sucesso da Braga Romana. Por isso, nem imperador, nem legionário, admitindo simpatia pela ponderação dos “senadores”.

A nível pessoal, este é um desafio superado? 

A Braga Romana é apaixonante. É, realmente, um desafio porque o evento tem uma dimensão cultural, patrimonial e lúdica muito grande aliada a um conjunto vasto de intervenientes! Eu estou absolutamente cativada por tudo aquilo que conseguimos fazer acontecer!  Digo conseguimos porque realmente é fruto do trabalho de uma equipa que idealiza e trabalha com paixão todo este evento!


Be first to comment