Creative Lemons : “As ideias criativas não nascem, constroem-se”

Amarelos, criativos e nada azedos. Foi assim que encontramos a equipa mais cobiçada de Braga. O truque é não ter rotinas, ir vivendo com paixão a profissão que os escolheu. Vão mantendo por perto todas as certezas que um dia os fizeram começar esta vida louca. Brindam a criatividade entre copos de limonada e projectos que lhes vão adoçando a mente. São profissionais, mas divertidos, com uma vontade própria e única de jovens promessas  num mundo cada vez mais competitivo. Os Creative Lemons são docinhos. Não fazem nada jus ao nome. Falamos com o Daniel Martins (o limão ruivo) que nos contou tudo sobre este próspero e imparável limoeiro …

creative lemons 06

Não é novidade que a criatividade ajuda-nos a encontrar soluções para diversos desafios do dia-a-dia. A grande questão que se coloca é: Como nascem as ideias criativas?

Eu gosto de pensar que as ideias criativas não nascem, constroem-se. A verdade é que por vezes, parece surgir assim do nada, tal como é representado pela típica lâmpada nos cartoons, mas na realidade é apenas o nosso cérebro a fazer a ligação entre vários pontos, desde outras ideias, pensamentos, sentimentos e experiências passadas, a ligação entre todos esses pontos, que pode ser feita de mil e uma maneiras, é a ideia! Assim sendo, a meu ver as ideias surgem no culminar de várias informações (concretas ou abstratas) que quando articuladas da melhor maneira, podem ter resultados incríveis.

É o facto de existirem pessoas a que chamamos criativos, que têm a habilidade de se colocarem num modo de trabalhar diferente e se permitirem brincar com a sua mente que as distingue das outras pessoas?

Acredito que sim, o que distingue uma pessoa da outra é a sua personalidade, postura e forma de ver o mundo. Estes criativos têm tendência para pensar fora da caixa, ver as coisas em seu redor e interpretá-las de forma diferente e isso é que os tornas especiais e únicos.

Esta equipa de mentes brilhantes consegue dizer basta ao “modo clown” e depressa voltar ao “modo clone”?

creative lemons 08

Sim, é algo que faz parte do adn dos Limões, tanto estão numa fase de brincadeira em que todos participam como rapidamente conseguem voltar ao modo “produtivo”. Mas isso é algo que faz parte do nosso dia-a-dia e que acontece de hora a hora. Não há momento específico para “brincar” ou para “trabalhar” até porque estão interligados. De algum projecto pode surgir uma brincadeira e de uma brincadeira pode surgir uma ideia incrível. Gosto de ter um ambiente leve, sem imposições em que todos estão a par dos projectos que estão a decorrer, do seu papel no seu desenvolvimento e a partir daí gerir o seu espaço e tempo.

O processo criativo passa por fases distintas. Como categorizarias essas fases?

Além de algumas que já referi, o processo criativo pode ter muitas fases. Entusiasmo, inspiração, pesquisa, desespero, preocupação, stress, elucidação, desespero novamente, inspiração novamente e claro, entusiasmo novamente. Não há uma fórmula certa e o objectivo final – que é ter a grande ideia – tanto pode surgir muito rapidamente e de forma natural como pode ser um processo longo e de grandes maratonas de storyboard. O mais importante é que nos momentos de mais bloqueios surjam os desbloqueadores! Estes podem também ser os mais variados, desde um simples café, a um passeio pelo parque, uma pequena pesquisa, uma sessão de brainstorming, um jogo de basket, entre outras pequenas acções.


“ Não há certo nem errado, muito menos um “chefe”. O que existe é uma equipa a trabalhar em conjunto, a fazerem o que gostam com um objectivo conjunto em mente.”


A fase da “transpiração”, do trabalho árduo, é para vós a mais especial ou preferem a fase em que finalmente entregam o produto?

Acaba por ser um pouco relativo ao projecto que estamos a trabalhar. Na maior parte dos casos, a fase da “transpiração” é a que mais prazer nos dá, mas também temos muitos projectos, nomeadamente os que têm uma ligação mais “humana” que nos dá um prazer enorme ver os projectos aplicados.

Quantas vezes por dia um limão suspira pelo famoso “Eureka” de Arquimedes?

(risos) É relativo! Dependendo da dimensão do “Eureka”. Pode acontecer todos os dias como pode acontecer com menos frequência. Está directamente relacionado com as dificuldades porque vamos passando e conforme as vamos ultrapassando. Por vezes o “Eureka” surge quando descobrimos uma nova ferramenta, ou forma de fazer as coisas, outras vezes quando solucionamos um problema relativo a um projecto – desde a fase do script e concepção da ideia, à forma de captura.

creative lemons 07

Porque surgem as boas ideias em sítios e momentos completamente improváveis?

A razão penso ser muito simples. Se fizermos sempre as mesmas coisas, estivermos com as mesmas pessoas, nos mesmos locais, dificilmente seremos obrigados a pensar de forma diferente, a sair da nossa zona de conforto e termos diferentes experiências. Se colocarmos um grupo de pessoas a crescer exactamente no mesmo ambiente, a aprenderem as mesmas coisas e com rotinas semelhantes, podemos esperar que qualquer ideia que tenham sejam bastante semelhantes umas às outras. Agora se juntarmos um grupo de pessoas com um background completamente distinto, ideias diferentes, experiências de vida diferentes e se as colocarmos a juntarem toda essa informação com um objectivo em mente, a probabilidade de surgir algo “out of the box” e com qualidade será muito maior. O mesmo se aplica a um indivíduo, só o facto de sair da sua zona de conforto, fará com que pense de forma diferente e chegue a ideias que de outra forma dificilmente chegaria.

creative lemons 04É por permitires que a tua equipa seja ela própria e deixares que eles sejam criativos que consegues estimular a sua genialidade?

A resposta simples é sim. Todos nós temos montes de ideias e desejos seja para a nossa vida pessoal como profissional, mas também todos nós temos muitos receios que nos colocam entraves e bloqueios mentais. O primeiro passo que eu tento dar em relação à equipa é transmitir o adn dos Creative Lemons e explicar que não há certo nem errado, muito menos um “chefe”. O que existe é uma equipa a trabalhar em conjunto, a fazerem o que gostam com um objectivo conjunto em mente. Cada um de nós tem um papel importante na Lemons e sabemos que o trabalho de cada um influência todos os outros. Apesar disso, sabemos também que todos falhamos quase todos os dias, tanto em coisas pequenas como grandes, mas o mais importante é todos aprendermos com isso e não repetirmos os mesmos erros. Acredito que libertando as pessoas de grande parte dos seus receios e incentivando à experimentação conseguimos realmente dar liberdade à sua genialidade.

creative lemons 02Quantas boas ideias já ficaram guardadas numa pasta?     

Centenas? Milhares? Boas ideias não faltam, todos os dias surgem novas ideias e grande parte delas ficam mesmo numa pasta mental, outras que revelam grande potencial, são registadas com o conhecimento de toda a equipa para assim que surja a oportunidade (que é muito raro surgir) pegarmos na ideia e tentarmos implementa-la.

Também é preciso criatividade para lidar com as exigências dos clientes? Qual a maior dificuldade com que frequentemente se deparam?

Sim, para comunicar com clientes é preciso muita criatividade mas acima de tudo, uma boa capacidade de comunicação e de nos colocarmos no lugar do cliente. Conseguir realmente perceber quais são as necessidades ou objectivos dos clientes nem sempre é fácil, até porque muitas vezes nem ele os sabe ao certo. O elemento comunicação será sem dúvida o que temos que ter mais atenção pois fará a grande diferença no decorrer do trabalho. É muito importante percebermos o cliente e ele perceber-nos a nós. E a criatividade entra aí mesmo, na forma como apresentamos as nossas ideias, explicamos as técnicas e por vezes como conseguimos seduzir o cliente para seguir o nosso instinto.

creative lemons 01

Time-lapses, drones, super slow-motion… é possível escapar às técnicas audiovisuais mais trendy e “contar a história de outro modo”?

Há sempre formas novas de se contar uma história, seja através de novas tecnologias ou de técnicas ainda não exploradas. Hoje em dia, depois do frenesim dos timelapses e drones, surgem técnicas de contar histórias muito interessantes, muitas vezes com recurso a estilos de edição que relembram os anos 70 e 80, dando-lhes muitas vezes uma certa nostalgia associada. Não interessa muito as técnicas que são utilizadas, mas sim se são utilizadas de forma a contar a história da melhor maneira possível, sendo que muitas vezes essas mesmas tecnologias podem deixar a história refém de um certo look (caso do slowmotion e timelapse quando utilizados em demasia e sem contexto) e de falta de conteúdo. O importante é alcançar sempre o melhor resultado e deixar o espectador curioso e interessado, e as novidades são óptimas para destacar o trabalho pois as pessoas ficam por vezes intrigadas acerca de como conseguimos fazer determinado plano ou efeito.


Há algum trabalho de que se orgulhem particularmente?

creative lemons 10Há muitos trabalhos que nos dão muito orgulho, como é o caso do City of Braga, por ter sido feito num contexto interno em que sabíamos que Braga merecia ter um vídeo que representasse a dinâmica da cidade mas que não havia quem desse o aval para isso ser feito. O vídeo Institucional da Meia Dúzia deu-nos um gosto especial pelo mood com que conseguimos para transmitir as origens e produção dos produtos da marca. Neste vídeo exploramos também a animação 3D mais realista e pensamos ter alcançado um bom resultado. As sagas dos vídeos do Color Run foram sempre divertidas por se tratarem de um evento e haver uma grande envolvência da nossa parte com a organização e os participantes. Os vídeos das Uber Sessions marcaram uma posição muito forte da nossa parte na tecnologia vídeo 360º, e tiveram um grande impacto na visibilidade e pedido deste tipo de trabalhos por parte dos nossos clientes. Mas é sempre injusto falar de uns e não de outros pois são trabalhos tão diversos e que significam muito para nós e cada um deles nos ajuda a crescer tecnicamente e como equipa, cada vídeo tem uma história e sentimo-nos felizes por estarmos orgulhosos de cada um deles.

creative lemons 09O crescimento dos Creative Lemon está à vista. Podemos dizer que o vosso lema é começar com um ideal e terminar com um
negócio?

Não sei se podemos considerar como um lema, o nosso crescimento foi bastante natural para nós, pareceu muito rápido mas foi um processo muito em sintonia com o nosso percurso. Os nossos serviços foram-se alargando e solidificando, a equipa foi crescendo acompanhando essa diversificação, fomos-nos tornando maiores, melhores e mais focados. Acho que essa qualidade foi vista pelos nossos clientes e isso traduziu-se no nosso sucesso. Vamos tendo sempre novos desafios e novos objectivos que vão alterando o percurso dos Lemons, independentemente de sermos considerados um negócio com sucesso e uma boa empresa, o nosso objectivo foca-se em sermos conhecidos pela qualidade dos projectos que desenvolvemos e sobretudo ter uma equipa que funciona em sintonia, com boa disposição e sempre com bom ambiente de trabalho.

Share on Facebook153Tweet about this on TwitterShare on Google+0

Be first to comment