Conheça Carlos Teixeira, o artista bracarense que expõe no Louvre

“O verdadeiro artista é, não o que se inspira, mas o que inspira os outros”. A frase é de Salvador Dali, uma das referências de Carlos Teixeira, pintor bracarense cujo talento e perseverança conseguiram o que muitos apenas ousam sonhar: ter o seu trabalho exposto no mais famoso museu do mundo. O artista bracarense concedeu-nos uma breve entrevista, onde revela os segredos deste percurso de sucesso e o que significa ter a sua obra exposta no Louvre, em Paris. Apesar de já ter internacionalizado as suas pinturas, o artista não esquece a sua cidade e sugere algumas mudanças para que outros possam também valorizar as suas obras.

Quando e como é que a pintura entrou na sua vida?
Desde muito cedo, assim como a maioria dos artistas. Sempre tive muito jeito para o desenho e fui desenvolvendo ao longo dos anos esta habilidade.
Tem algum pintor ou artista que seja para si uma referência?
Leonardo da Vinci e Salvador Dali

carlos teixeira
Como acontece o processo criativo? O que é preciso para que a obra nasça?
Faço a escolha do tema e depois é o que sai no momento, que poderei ir alterando ao longo do processo, principalmente as cores. “ É algo que nasce de dentro, mediante as minhas emoções.
Fale-nos um pouco das suas técnicas de pintura e dos temas que pinta… o retrato é um desafio comparado com os outros assuntos mais “livres”?
Acrílico sobre tela é a técnica na qual realizo a maioria dos meus trabalhos, utilizando tanto o pincel como a espátula. Sou muito versátil nos temas que pinto, por isso o retrato não vem a ser para mim um desafio e sim um prazer.
Como surgiu esta oportunidade de expor no Carroussel du Louvre?
Foi um convite feito pela Cristina Bernardini da Associação Cultural Atlas Violeta, o qual aceitei de imediato, sendo um orgulho ser um dos representantes de Portugal no Carroussel du Louvre.

carlos teixeira pinturaDepois desta exposição, onde mais gostaria de ver o seu trabalho exposto?
Estou disponível para qualquer convite e locais que queiram expor o meu trabalho, seja em Portugal ou no estrangeiro, afinal é sempre gratificante para o artista ver o reconhecimento do seu trabalho.
Por fim, como vê o actual panorama cultural em Braga? O que gostaria que mudasse?
Muito limitada, só existem 2 locais em Braga que pertencem à câmara municipal onde se pode expor, um é a Casa dos Crivos e o outro é a Torre de Menagem onde neste último fica por conta e risco do artista, porque não tem quem tome conta do local! Temos tantos locais abandonados que poderiam colocar à disposição de artistas, ao que parece isso não é prioridade! Falta apoio e incentivo principalmente para os artistas desconhecidos e nem preciso dizer que Braga está repleta deles. Para já aproveito a oportunidade de agradecer às pessoas que gostam de arte e me têm ajudado na divulgação do meu trabalho através de exposições particulares.


Be first to comment