S. João de Braga é de todos e para todos !

Para amar Braga e a sua tradição, é preciso entender o S. João. Os Bracarenses gostam que assim seja. É motivador. Libertador. O S. João tem qualquer coisa de especial. Deixa que Braga mostre o quanto é uma cidade bem resolvida com a sua tradição e com o seu património. E é assim , o nosso S. João. O vento quente que traz consigo milhares e milhares de pessoas. Aquela alegria contagiante que envolve toda a gente e que nos abana ao passar como se andasse a tratar de assuntos inadiáveis. 

A história da maior festa da cidade não é só feita de gente. E seria tanta, se assim fosse. São 12 dias de animação, 238 horas de programação, 113 iniciativas previstas, 9 cortejos e desfiles, 12 exposições, 19 espectáculos, 10 mil pessoas e 203 entidades envolvidas e cerca de 1 milhão de participantes esperados.  Na mesma página, na que nos conta uma história única da romaria com lugar especial no coração das suas gentes, escreve-se hoje um novo capítulo. O de uma geração jovem,  dinâmica e com orgulho nas suas amarras e nós emocionais com a tradição Sanjoanina.

De acordo com Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, a qualidade associada às festas de São João é fruto do ´esforço colectivo´ que a sociedade no seu todo desenvolve e que é corporizada na Associação de Festas de São João. “Ao longo destes quatro anos, a Associação pautou a sua actuação pela transparência e conseguiu uma maior abertura da programação à comunidade, reconstruindo o laço afectivo entre os Bracarenses e as festas que, a determinado momento, se tinha perdido. Ao mesmo tempo, enriqueceu essa mesma programação, contribuindo para a projecção de Braga fora das suas fronteiras e para a atracção de visitantes”, referiu, enaltecendo este período de festividades enquanto ´espaço aberto à expressão das nossas raízes, cultura e tradições´.

Por seu turno, Rui Ferreira, presidente da Associação de Festas de São João de Braga, realçou que o programa vasto e diversificado sustenta a afirmação de que esta é a ´maior festa popular de Portugal´. “A preservação das tradições é o princípio orientador da nossa acção desde que assumimos a responsabilidade de organizar aquelas que são as maiores festas do Minho e, este mesmo programa assume as tradições como elemento chave sem esquecer a inovação”, disse.

Nesta página, esta é a maneira de se manter o que é tão nosso. Cheio de densidades sentimentais. Camada após camada que nos envolve e nos distrai de uma maneira tão subtil. O maior encontro de Joões, a majestosa Batalha das Flores e a Parada Folclórica, o nosso Rei David e o seu carro das ervas.   O maior encontro de Gigantones e Cabeçudos. O calor. As histórias que ficam. E as cores. O S. João deixa-nos memórias que deviam ser guardadas em cápsulas do tempo. E a tradição. Já disse, eu sei. Mas a tradição. Sempre lá. E aqui, em nós… Enquanto existir Braga.

 

Share on Facebook21Tweet about this on TwitterShare on Google+0

Be first to comment