Passar o mês a rir no Theatro Circo

Será provavelmente o mês mais divertido deste Verão. A programação do Theatro Circo para este período conta com quatro espectáculos onde rir será certamente o melhor remédio. César Mourão, Francisco Menezes, Bruno Nogueira e Ana Bola serão os responsáveis por muitas e boas gargalhadas, protagonizando quatro espectáculos inseridos no ciclo “Famigerados Desbocados”.

Para além do humor, a oferta completa-se com o grande prémio de literatura dst, integrado na feira do livro, que contará com a participação especial de Luís Represas, no dia 3. Do Brasil chega Alceu Valença, no dia 11, artista consagrado que traz a Braga o melhor do sertão brasileiro. O teatro e cinema complementam a restante programação, que pode ser consultada aqui:

 

 

César Mourão | A solo numa comédia poética

ESPERANÇA

01 julho, quarta, 21h30, Sala Principal

18 € (Plateia e 1º Balcão) | 15 € (restantes zonas)

M12

“A esperança é a última a morrer” é o ditado popular levado à risca na comédia interpretada por Cesar Mourão. Na pele de Esperança, uma simpática senhora que tem muita opinião e alguns segredos, o ator dá vida ao olhar saudoso de uma divertida octogenária que está determinada a defender a predestinação do seu nome. Será a última a morrer, nem que para isso tenha que se manter ocupada durante todos os instantes que restam da sua vida. Na espera eterna de viver um grande amor, Esperança relembra o passado e alfineta as mudanças dos novos tempos.

PROMOTOR: Glorious Pages, Lda

Duração prevista: 90 minutos

 

 

Convidado especial: Luís Represas

GRANDE PRÉMIO DE LITERATURA DST

03 julho, sexta, 21h30, Sala Principal

M6

Entrada Gratuita

O Grande Prémio de Literatura dst está integrado na Feira do Livro e distingue anualmente uma obra em português, de autor português, nascido e residente em território nacional. Luís Represas é o convidado especial da vigésima edição daquela que é já uma das mais relevantes distinções na área das Letras em Portugal.

Duração prevista: 145 minutos

 

 

Ciclo “Famigerados Desbocados” | Francisco Menezes

LOOP

04 julho, sábado, 23h59, Pequeno Auditório

15 € | Cartão Quadrilátero: 7,5€

M16

Loop não se descreve. Ouve-se, vê-se, sente-se. Loop é algo de absolutamente único. O que apenas uma voz faz acontecer em Loop, desde o primeiro minuto, não é igual a nada. Loop está entre a música e a comédia, o ensaiado e o espontâneo, o zero e o infinito. Loop vai do virtuosismo à gargalhada, do silêncio ao êxtase, do palco ao público, e volta. Mas isto são só palavras, que em Loop não servem para nada. Em Loop, Francisco Menezes está sozinho em palco. Mas, precisará de mais para conquistar o Universo?

De: Francisco Menezes e Yllana

Duração prevista: 70 minutos

 

 

 

Mimarte – Festival de Teatro de Braga

SÍLVIA

10 julho, sexta, 21h45, Sala Principal

M12

5 € (Bilhetes disponíveis a partir de 02 de Julho)

Gonçalo e Catarina entram numa fase nova das suas vidas. Os filhos foram para a universidade e o casal mudou-se para Lisboa. Mas Gonçalo não está feliz. Odeia o seu trabalho e precisa de algo mais na sua vida. Até ao dia em que encontra Sílvia. Sílvia é jovem, linda, divertida, e sente um amor à primeira vista por Gonçalo. A ligação entre os dois é tão forte que Gonçalo decide levar Sílvia para casa, o que não agrada de todo a Catarina. É que Sílvia deixa pêlo no sofá, bebe água da sanita, é inconveniente para as visitas… e ladra. Sílvia é uma cadela abandonada, que se torna uma obsessão para Gonçalo, que encontra nela uma razão para olhar a vida de outra maneira…

Autor: A. R. Gurney | Tradução e adaptação: Heitor Lourenço e Manuela Couto | Versão cénica e encenação: Almeno Gonçalves | Apoio dramatúrgico: Artur Ribeiro | Com: Heitor Lourenço, Manuela Couto, Paulo Pires e Gabriela Barros | Produção: Sola do Sapato Produções e Margem Narrativa – Associação Cultural

Duração prevista: 120 minutos

Espetáculo com tradução para Língua Gestual Portuguesa

 

 

 

Música do Brasil | Feira do Livro

ALCEU VALENÇA

11 julho, sábado, 21h30, Sala Principal

15 € | Cartão Quadrilátero: 7,5€

M6

Alceu Valença é um dos nomes maiores da cena artística brasileira. Autor inquieto e intemporal, ao longo de mais de 40 anos de carreira, o cantor pernambucano criou sucessos que ultrapassaram fronteiras e cruzaram oceanos. Dono de um estilo que envolve os tradicionais xotes, forrós ou toadas numa faceta sonora cosmopolita, Alceu Valença traz para Braga, no âmbito da Feira do Livro, o calor do sertão do Brasil profundo e convida o espetador a embarcar numa viagem pelos caminhos ensolarados da música nordestina.

Duração prevista: 80 minutos

 

 

 

Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga | Feira do Livro

CONCERTO COM A ORQUESTRA DO IV ESTÁGIO

12 Julho, domingo, 18h30, Sala Principal

M6

Entrada Gratuita

São cerca de 80 os jovens instrumentistas que, após uma semana de estágio no Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga, sobem ao palco principal do Theatro Circo sob a direção do maestro Jean-Sébastien Béreau. Integrado na programação cultural da Feira do Livro, este concerto resulta de um intensivo trabalho de preparação de obras de Elgar, Grieg, Mozart e César Frank. A motivação é grande e o entusiasmo do grupo de instrumentistas selecionados também, nomeadamente os jovens solistas premiados, Bruno Ferreira no piano, Ana Isabel Malheiro no violino e Margarida Vieira no violoncelo, que agora terminam o seu percurso.

Duração prevista: 90 minutos

 

 

Arte Total | Peter Michael Dietz

ESCADAS ZERO

17 e 18 julho, sexta e sábado, 21h30, Sala Principal

5€

M3

Inspirador pelo caráter experimental, o trabalho criativo de Peter Michael Dietz agrega uma vital dimensão pedagógica da qual todos fazemos parte, quer como participantes, como público ou como profissionais das artes performativas, contribuindo, desta forma, para a construção de um melhor e mais capacitado futuro. O ponto de partida deste projeto, com início em 2013, é um texto de Gonçalo M. Tavares – “Escada Zero”. Sendo um trabalho continuado de criação com um grupo de crianças e jovens bailarinos da Companhia Arte Total, o projeto conta, nesta nova produção, com cerca de 200 participantes.

Coreografia: Peter Michael Dietz | Desenho de luz: Sérgio Julião | Som: Tiago Ralha | Direção artística: Cristina Mendanha | Imagem: Filipe Lopes (PlayBleu)

Duração prevista: 60 minutos

 

.

 

Banda Militar do Porto e Orquestra do Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga

ANIVERSÁRIO DO RC6

19 julho, domingo, 21h30, Sala Principal

Entrada gratuita

M6

A Banda Militar do Porto e a Orquestra do Conservatório Calouste Gulbenkian de Braga, sob respetiva direção dos maestros Paulo Matos e Alexandre Coelho, levam ao palco do Theatro Circo obras de Strauss, Rossini e Piedade Vaz, entre outros. Este concerto está integrado nas comemorações do 306º Aniversário do RC6 e tem como tema “A Cavalaria”.

PROMOTOR: Regimento de Cavalaria nº 6

Duração prevista: 90 minutos

.

 

 

Exposição

O THEATRO E A CIDADE

21 Julho, 18h00, Salão Nobre (Inauguração)

21 Julho a 21 Agosto, terça a sábado, 14h30 às 18h30, Salão Nobre

Entrada Gratuita

A 21 de Julho, é apresentado ao público o primeiro momento expositivo do Projeto Memória sobre a temática “O Theatro e a Cidade”. Esta exposição dá a conhecer o espólio que o Theatro Circo, em parceria com a Biblioteca Pública de Braga, tem vindo a reunir. A partir de originais fotográficos, da primeira acta assinada pelos fundadores e outras relíquias documentais, a instituição centenária desvenda um pouco mais da sua história.

 

.

 

 

Ciclo “Lições de Piano” | Jamie Saft, Bobby Previte e Steve Swallow

THE NEW STANDARD TRIO

21 Julho, terça, 21h30, Sala Principal

M6

12 € | Cartão Quadrilátero: 6 €

The New Standard Trio traz o pianista, teclista, produtor e compositor nova-iorquino Jamie Saft de volta ao Theatro Circo. O projeto reúne todas as condições para que mostre as suas capacidades enquanto escritor e, intuitivamente, como a nova estrela do órgão. Ao mesmo tempo, será um prazer ouvir o baterista Bobby Previte no seu melhor e Steve Swallow a desfrutar do seu baixo depois de ter trabalhado em projetos tão distintos como The Impossible Gentlemen e Carla Bley.

 

 

Conferência

O THEATRO E A CIDADE 

24 Julho, sexta, 15h00, Pequeno Auditório

Entrada Gratuita (sujeita a inscrição)

No ano em que celebra o seu centenário, o Theatro Circo apresenta o primeiro momento do ciclo de conferências do Projeto Memória subordinado ao tema “O Theatro e a Cidade”. Neste dia, são exploradas as temáticas do lugar do teatro na cidade, da importância da vitalidade e da criatividade cultural para o desenvolvimento urbano, bem como os modos de reinventar a polis através da arte. Para esta partilha de saber, contaremos com contributos nas áreas da História, da Sociologia e do Design.

 

.

 

Ciclo “A dança dança-se com os pés” | Jan Fabre

“ATTENDS, ATTENDS, ATTENDS… (POUR MON PÈRE)

24 Julho, sexta, 21h30, Sala Principal

15€ | Cartão Quadrilátero: 7,5€

M12

Em “Attends, attends, attends… (pour mon père)”, o filho tem uma troca imaginária de pensamentos com o seu pai. Um diálogo onde implora ao pai para esperar e ser paciente. Ele pede ao pai para se abrir e recuar até à idade do filho, voltando assim a ser criança e a preparar-se para a morte. O filho revela-se como sendo Charon (Caronte), o barqueiro que prepara o pai para a última passagem. Ele é especialista na morte e conhece-a como ninguém. Todas as noites recebe a morte e o nascimento. Ele conhece bem o seu papel, já o desempenhou várias vezes. “Pai, acompanhas-me”? Para este solo, Jan Fabre inspirou-se na vida de Cédric Charron, artista com quem trabalha de perto desde “As long as the world needs a warrior’s soul” (2000).

Texto, direção, coreografia: Jan Fabre | Interpretação: Cédric Charron | Música: Tom Tiest | Dramaturgia: Miet Martens | Luz: Jan Fabre e Geert Van der Auwera | Figurinos: Jan Fabre e Andrea Kränzlin | Direção de produção: Ilka De Wilde | Tradução para francês: Michèle Deghilage | Produção: Troubleyn / Jan Fabre | Coprodução: Festival Montpellier Danse

Espetáculo em Francês com tradução para Português

Duração prevista: 60 minutos

 

 

Ciclo “Famigerados Desbocados” | Stand-up comedy

BRUNO NOGUEIRA

25 Julho, sábado, 23h59, Pequeno Auditório

12 € | Cartão Quadrilátero: 6 €

M16

É sábado, é verão e a noite ainda é uma criança. Sugerimos que desligue a televisão. Tire o som à rádio. Dê descanso ao smartphone e ao tablet. Desta vez, o encontro com o humor de Bruno Nogueira é frente a frente. A esplanada? Pode esperar… Os amigos? Traga-os consigo!

Duração prevista: 45 minutos

 

 

 

Companhia de Teatro de Braga

MÁQUINA DO MUNDO

27 a 31 julho, segunda a sexta, 21h30, Sala Principal

M12

10€ | Cartão Quadrilátero: 5€

A 11 de setembro de 2001, dois aviões colidiram com duas torres. Este é um facto. Isto é verdade. Porquê colidiram dois aviões com duas torres? A palavra “porquê” não tem a ver nem com a verdade nem com factos. A palavra “porquê” pertence à humanidade. O “porquê” é seguido por uma resposta e uma interpretação, respetivamente. E imediatamente o mundo é explicado. No espetáculo de Schipenko, o desconhecido aparece como um homem chamado Camões, que afirma que deveria ter tomado posse de outro avião a 11 de Setembro de 2001, mas que desistiu dessa intenção ainda sentado no avião. Um Camões de quem nunca ouvimos. O segredo de um incidente cujas causas são desconhecidas.

Autor: Alexej Schipenko | Dramaturgia: Anna Langhoff | Encenação: Alexej Schipenko | Elenco: António Jorge, André Laires, Carlos Feio, Frederick Bustorff, Jaime Monsanto, João Chelo, Rogério Boane, Rui Madeira, Solange Sá e Sílvia Brito

Duração prevista: 120 minutos

 

 

 

Ciclo “Famigerados Desbocados” | Stand-up comedy

ANA BOLA SEM FILTRO

31 Julho, sexta, 23h59, Pequeno Auditório

12 € | Cartão Quadrilátero: 6 €

M12

Um monólogo. Uma atriz, Ana Bola. Com 40 de profissão, fez teatro, fez televisão, foi autora de séries de sucesso, apresentadora de programas e jurada de concursos. Aos 62 anos de idade vê-se confrontada com falta de trabalho, apesar de continuar no ativo, em forma e de ser acarinhada pelo público. Ainda que de uma forma ligeira e bem-disposta, o espetáculo é uma crítica direta e sem papas na língua a uma realidade gritante: a total falta de respeito pela arte, pelos artistas e pelo trabalho sério, que é substituído por atentados ao talento e à experiência. Um monólogo que chama os bois pelos nomes. Sem filtros. Sem medos.

Texto e interpretação: Ana Bola | Direção: António Pires | Vozes off: Alexandra Rosa, Júlio Isidro e Manuel Marques

Duração prevista: 70 minutos

 

Mais informação aqui.

Share on Facebook61Tweet about this on TwitterShare on Google+0

Be first to comment