O inverno é uma casa às costas

Em Castro Laboreiro, prevalece uma antiga tradição que vive subordinada ao sobe e desce da serra. Entre as brandas, os terrenos altos, e as inverneiras, os mais baixos, ainda há castrejos que habitam uma parte do ano em cada uma das altitudes para fugirem ora do frio, ora do calor. Para a História ficou o tempo em que na mudança levam tudo às costas, do gado às panelas e aos moribundos. A tradição já não é o que era, mas por estas encostas ainda há quem viva o nomadismo como um ritual obrigatório.

Texto: Carolina Pelicano Falcão | Fotos: Gonçalo Delgado
VQ_O Inverno e uma casa as costas_01

.

VQ_O Inverno e uma casa as costas_02

.

VQ_O Inverno e uma casa as costas_03

.

VQ_O Inverno e uma casa as costas_04

.

VQ_O Inverno e uma casa as costas_05

.

VQ_O Inverno e uma casa as costas_06

.

VQ_O Inverno e uma casa as costas_07

.

VQ_O Inverno e uma casa as costas_08

.

VQ_O Inverno e uma casa as costas_09

.

VQ_O Inverno e uma casa as costas_10
Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0

Be first to comment