LOMO: Da Rússia, com amor

Em 1992 os Estados Unidos e a União Soviética protagonizavam um braço de ferro que ficou conhecido como “Guerra Fria”. Nesse período na URSS, o general Igor Petrowitsch Kornitzky, do Ministério da Indústria e da Defesa Soviético, ordenou ao director da empresa LOMO, Michael Pantiloff, a produção maciça de máquinas fotográficas pequenas, robustas e fáceis de usar. O general amante da fotografia, Tinha-se deixado encantar por uma pequena máquina japonesa, muito resistente e cujas lentes eram de qualidade excepcional. A ideia era produzir Lomos baratas para que estas se tornassem verdadeiros instrumentos de propaganda, Com todas as famílias da URSS a documentarem amplamente, graças a elas, o estilo de vida soviético.

lomo_lc-aA Lomo Kompact Automat foi produzida em série e vendida não só na União Soviética, mas tembém em países como o Vietname, a Alemanha de Leste e Cuba.

A “Lomomania” propriamente dita começa em Praga em 1991, quando dois jovens vienenses, de férias na capital da República Checa, descobriram a máquina Lomo. Começaram então a fotografar tudo, muitas vezes sem sequer olhar através da objectiva. De regresso a casa, o fascínio dos dois fotógrafos pela cor, a luz e a qualidade das imagens ( focadas ou desfocadas) foi tão contagioso que rapidamente a moda das Lomo se espalhou entre os jovens da cidade.
Em 1995 nascia em Viena, na Áustria, a Sociedade Lomográfica e a primeira LomoEmbaixada, com o objectivo de impedir o desaparecimento das pequenas máquinas fotográficas russas, uma vez que a fábrica de São Petersburgo tinha acabado com a produção. A Sociedade Lomográfica organizou uma série de vendas de Lomos no âmbito de diversos eventos culturais, que serviram para afirmar o valor artístico da Lomografia.

A arte de fotografar com uma Lomo consiste em fotografar ao acaso, de forma imprevisível. A Lomografia não é uma fotografia encenada, produzida; é uma fotografia do quotidiano.

in “Lomografia Portugal”

Inserido nos Encontros da Imagem e organizado pelo Conselho Cultural da UMinho e pela Embaixada Lomográfica do Porto, e inserido no Festival de Outono, decorre nos próximos dias 15 e 16 de Outubro um workshop de Lomografia.

Programa
– Introdução ao universo da lomografia e da produção de imagens analógicas em médio formato ou 35mm
– Apresentação das câmaras lomográficas, suas características, potencialidades, dicas e truques
– Safari fotográfico pela cidade, com uma das diferentes câmaras à escolha.

Horário: 14h30
Entrada Livre
Incrições em: ccultural@reitoria.uminho.pt

Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0

Be first to comment