José James: O jazz como arma de inspiração e revolta

Aqui. Em Braga. No Theatro Circo. Os bons dias começas assim. Muito cedo, a aguardar ansiosamente a chegada de José James. A ideia é mesmo essa. Ouvir uma das vozes mais arrojadas e arrebatadoras do jazz nos dias de hoje. A forma mais bonita de o ouvir é sem dúvida na sala mais bonita do país. Altura de desligar, de nos deixarmos fundir com este astro em ascensão que nos arrebata. Uma voz imensa. Que nos acalma. Que nos diz que vale tanto a pena apreciar as pequenas coisas da vida.

james-tc

O quarto trabalho “Love in a Time of Madness” reflete a visão artística do cantor residente em Nova Iorque sobre um mundo fustigado pela guerra e conflito. A brutalidade policial e as questões raciais que assolam a terra do tio Sam contrastam com a era de comunicação global em que vivemos e este álbum é um grito de indignação e revolta pelas injustiças que teimam em resistir na terra da liberdade. Nestes tempos conturbados James questiona o valor do amor e da vida humana num registo poderoso e intemporal que vale a pena escutar com atenção.

A música. A devoção pela mesma. Aquela que faz deste um artista completo, com já 3 discos e com um novo trabalho a caminho. Vontades. Muitas. As daquele que fez já um tributo fenomenal a Billie Holliday. Os dias em Braga começam assim. Muito cedo. Com um contar das horas até que chegue o próximo sábado. As portas do Theatro vão abrir-se . Encher-se-á de sons e de gente.


Be first to comment