III Concurso de Bandas Filarmónicas: A melodia que chega com o Outono

Não vale a pena queixarmos-nos que os dias estão mais pequenos. Não adianta dizer que o sol se esconde mais cedo do que o que desejamos. Não adianta pensar que os meses nostálgicos estão aí à porta. A mão do Outono traz a Braga o III Festival de Bandas Filarmónicas.

O mês de Novembro é assim mesmo. Pouco invejoso. Tem cores fortes. Traz sons de bandas que acarretam com elas a tradição. Braga segue assim. Feliz. Acompanhada pela melodia dos meses que ainda nos aquecem a alma, ignorando o frio que surge e nos arrepia o corpo. O Festival de Bandas Filarmónicas é um capítulo que não se fecha. Apenas se vira a página. A cada linha vão surgindo novas histórias e novas gentes que não querem nem deixam acabar esta história feliz que conta já com três anos.
Para a vereadora da cultura Lídia Dias, é com grande satisfação que assiste à adesão das bandas lidia-diasprovenientes de vários pontos do País e da vizinha Galiza. “Conseguimos preencher todas as vagas disponíveis, um facto que nos enche de orgulho e nos motiva a trabalhar ainda mais em prol das associações musicais. Acredito que os dias 26 e 27 de Novembro serão dias de excelência para a música filarmónica.
O auditório do Parque de Exposições de Braga vai abrir portas e, cadeira a cadeira irá encher. Melodia após melodia será sentido um aconchego que irá envolver um a um. As luzes vão ligar-se, os instrumentos colocados lado a lado com a vontade de dar o melhor.
O presidente da Associação de Festas de S. João, Rui Ferreira, salientou a importância que as bandas filarmónicas têm nas festas populares, pelo que “apoiá-las e dar-lhes lugar nos eventos constitui, por si só, um contributo para o desenvolvimento da cultura. Todos os anos a abordagem das bandas à organização do S. João é muito intensa e, com esta ligação ao concurso, o processo de contratação das bandas passa a ser muito transparente”, explicou Rui Ferreira, notando que o concurso constitui agora a única forma de acesso das Bandas Filarmónicas à maior festa popular de Portugal.

Outra das novidades prende-se com a atribuição de um prémio à banda do distrito melhor classificada, que terá a oportunidade de gravar um CD. Também este ano, o júri do concurso passa a ser composto por cinco personalidades, em vez de integrar os representantes das bandas em competição.

PROGRAMA

SÁBADO, 26 DE NOVEMBRO

Praça da República

14h00 – Entrada das Bandas Filarmónicas no Centro Histórico

Grande Auditório do PEB

14h30 – Banda de Música de Belinho (Esposende)

15h30 – Sociedade Filarmónica de Vilarchão (Vieira do Minho)

16h30 – Banda Musical de Fajões (Oliveira de Azemeis)

17h30 – Banda Marcial do Vale (Santa Maria da Feira)

18h30 – Unión Musical de Valladares (Vigo – Espanha)

21h00 – Associação Cultural e Musical de Avintes (V. N. Gaia)

22h00 – Banda Musical de Lagares (Penafiel)

23h00 – Banda Musical de Arouca

 

DOMINGO, 27 DE NOVEMBRO

Grande Auditório do PEB

10h00 – Banda União Musical Paramense (Espinho)

11h00 – Banda Filarmónica de Angeja (Albergaria-a-Velha)

12h00 – Banda Musical de Cabreiros (Braga)

 

Praça da República

14h00 – Entrada das Bandas Filarmónicas no Centro Histórico

 

Grande Auditório do PEB

14h30 – Banda Musical Leverense (V. N. Gaia)

15h30 – Banda de Música dos Bombeiros Voluntários da Póvoa de Lanhoso

16h30 – Banda de Música de S. João da Madeira

17h30 – Banda dos Arcos de Valdevez

18h30 – Sessão Solene de Encerramento e entrega dos prémios

Assim, o júri deste ano será constituído por João Manuel Duque (professor catedrático e presidente do Centro Regional de Braga da Universidade Católica), Ilídio Costa (maestro e compositor), Rafael Agulló Albors (maestro da Banda e Escola Musical de Silleda, Espanha), Filipe Silva (Conservatório de Música Calouste Gulbenkian) e por Fernando Marinho (maestro vencedor das duas primeiras edições do concurso e que representa o Conservatório de Música do Porto).

No III Concurso de Bandas Filarmónicas de Braga irão participar as seguintes bandas:

  • Banda da Associação Cultural e Musical de Avintes (Vila Nova de Gaia);
  • Banda de Arcos de Valdevez;
  • Banda de Música dos Bombeiros Voluntários da Póvoa de Lanhoso;
  • Banda de Música de Belinho (Esposende);
  • Banda de Música de S. João da Madeira;
  • Banda Filarmónica de Angeja (Albergaria-a-Velha);
  • Banda Marcial do Vale (Santa Maria da Feira);
  • Banda Musical de Arouca;
  • Banda Musical de Cabreiros (Braga);
  • Banda Musical de Fajões (Oliveira de Azeméis);
  • Banda Musical de Lagares (Penafiel);
  • Banda Musical Leverense (Vila Nova de Gaia);
  • Banda União Musical Paramense (Espinho);
  • Sociedade Filarmónica de Vilarchão (Vieira do Minho);
  • Unión Musical de Valladares (Vigo.
  Sempre a música. Tanto, disso. Do que é nosso. Tanto do que nos faz bem. Outra coisa boa dos dias que chegam com o Outono.

Be first to comment