Fusões improváveis no GNRation

Lâminas é um espectáculo perfeito. Tem tanto de novo. De bom. De surpreendente. É fácil deixarmos-nos levar no prazer imediato deste novo espectáculo da autoria de Pedro Tudela e Miguel Carvalhais. O GNRation gosta de noites assim. Gosta de pessoas que fazem coisas especiais. O acto em si. Preparar. Com calma e profissionalismo. Apresentar. Criar laços com o público num ritual memorável. Agarrar. Essa arte que ninguém ensina e que é deveras tão importante no mundo do espectáculo. A forma como se agarra a paixão pela música. Pelo acreditar de um sonho. Pelos aplausos que dão ainda mais alento. Agarrar o público. Porque sim. Porque quem se esforça, quem é bom, merece que o público se deixe agarrar com força.

É com toda a força que estes dois artistas sobem amanhã, 3 de Março pelas 22h ao palco da blackbox nesta que é uma coprodução com o Teatro Maria Matos. Na sequência do último trabalho discográfico de @c, “Three-Body Problem”, Lâminas expande o campo de interações entre instrumentos eletrónicos e acústicos, entre performance computacional e humana, entre a improvisação e a composição da imprevisibilidade. Este novo espetáculo propõe desenvolver estes confrontos ao vivo e contará com os convidados Angelica V. Salvi (harpa), João Pais Filipe (percussão), e Ricardo Jacinto (violoncelo).

Em paralelo com o seu trabalho musical em estúdio e ao vivo, Pedro Tudela e Miguel Carvalhais têm vindo a desenvolver instalações sonoras desde 2005, trabalhando contextos site-specific, multicanal e multissensoriais. A/B é uma nova peça, criada para a galeria gnration e que se inscreve na sequência de trabalho recente como as instalações “Becoming-“ e “6 Elementos”. A/B desenvolve-se pela articulação de dois espaços contíguos, unidos por uma estrutura física comum, onde se instalam duas peças sonoras independentes. A instalação sonora encomendada pelo gnration será inaugurada também amanhã, 3 de Março pelas 21:30 na galeria gnration e estará patente até 22 abril.

Estes sons relacionam-se com a arquitetura do espaço, tirando partido da reverberação, de ecos e reflexos sonoros, contaminando-se mutuamente em alguns casos, sendo bastante localizados noutros, incitando a uma exploração ativa do espaço sonoro por parte dos visitantes.

Share on Facebook2Tweet about this on TwitterShare on Google+0

Be first to comment