O melhor da cultura luso-brasileira celebra-se “Do Bira ao Samba”

Há 7000 quilómetros a dividir Portugal do Brasil mas nos dias 29 e 30 de Julho, a distância fica bem mais curta. A cultura continua a ser a melhor forma para erguer pontes, celebrar diferenças e confirmar que somos, afinal, todos feitos do mesmo. Da mesma vaidade. Do mesmo orgulho. De uma vontade de celebrar e partilhar as tradições que fazem parte da nossa identidade.

Para isso nasceu o Festival “Do Bira ao Samba”, um  festival de artes performativas que funde as culturas e tradições portuguesas e brasileiras através da música e da dança.

O evento, este ano integrado na programação da Capital Ibero-Americana da Juventude, vai reunir em Braga cerca de 500 artistas e proporcionar desfiles de grupos etnográficos com escolas de samba e batucadas, um cortejo de carnaval ibero-americano, concursos de fotografia, de montras e de bonecas, uma exposição fotográfica, workshops e ainda uma vertente social de angariação de roupa, brinquedos e livros.

Organizado pelo ‘Bomboémia’ – Grupo de Percussão da Universidade do Minho e pela ARCUM – Associação Recreativa e Cultural da Universidade do Minho, o festival conta com o apoio do Município de Braga e promete dois dias de grande animação pelas ruas da Cidade.

ricardo rio - do bira ao sambaPara o presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, o ‘Do Bira ao Samba’ encerrará, da melhor forma, um “mês de luxo” do ponto de vista da programação cultural na Cidade. “Estamos a viver uma edição notável da Feira do Livro, tivemos o Mimarte, vamos ter, pela primeira vez, o Festival Vaudeville Rendez-Vous e terminaremos o mês de Julho com o ‘Do Bira ao Samba’, um evento que vai promover as raízes da música portuguesa e brasileira”, referiu Ricardo Rio durante a apresentação do festival, que decorreu hoje, 13 de Julho, no centro da Cidade.

Depois da primeira edição, que funcionou como uma experiência-piloto, o festival ‘Do Bira ao Samba’ surge este ano integrado na programação da Capital Ibero-Americana da Juventude com o objectivo de “promover o diálogo intercultural, potenciar o conhecimento da realidade dos países Ibero-Americanos aos Bracarenses e dar a conhecer Braga nesses países”.

A par da vertente cultural, Ricardo Rio destacou a forte componente solidária do evento com a recolha de roupas, brinquedos e livros que serão doados à Cruz Vermelha e à Cáritas, assim como a realização de um concurso de bonecas ibero-americanas que tem associado uma vertente ecológica.

do-bira-ao-sambaA segunda edição do festival, a realizar na Avenida Central, inclui um dia dedicado a Portugal (29 de Julho) e outro ao Brasil (30 de Julho), com a participação dos grupos ‘Kumpania Algazarra’ (Sintra), ‘Cabra Cega’ (Braga), Nuno Bastos (Estarreja), Ronda Típica da Meadela (Viana do Castelo), Batucada Radical (Porto) e ‘Trokobloco’ (Saragoça), além das escolas de samba de Estarreja, Ovar e Figueira da Foz.

Além das actuações, o festival inclui workshops de máscaras, danças típicas portuguesas, samba, capoeira, percussão, desgarradas e roda de capoeira. Destaque para a noite de 29 de Julho com a batucada do Bomboémia e, dia 30, às 21h30, o monumental desfile de carnaval ibero-americano. Entre os dias 23 de Julho e 7 de Agosto os espaços ‘Bira dos Namorados’, ‘Mavy’ e ‘Estúdio 22’ terão patente uma exposição de fotografia sobre o vira e o samba nas suas mais diversas manifestações.

De referir ainda que a CP – Comboios de Portugal volta a fazer descontos a todos aqueles que se desloquem a Braga nos dias 29 e 30 de Julho, com bilhetes de ida e volta a dois euros.


Be first to comment