Braga recua no tempo com o esplendor exuberante do Barroco

Uma vontade que está sempre cá . Essa vontade qualquer que se alimenta do indizível. Do efémero que é um paradoxo porque persiste afinal há quatro anos. Uma vontade tão forte que se porventura se transformasse num verbo  seria um gerúndio. Uma força contínua num evento que é já dos mais marcantes da cidade de Braga. Uma “Braga Barroca” que transforma um passado num presente tão bonito.

A 4ª edição do festival Braga Barroca está aí à porta e traz com ela uma programação digna de uma das mais importantes épocas que a cidade dos arcebispos viveu. Concertos, teatro, visitas guiadas e exposições são apenas algumas das actividades que podem usufruir de Quarta a Domingo .

A Braga Barroca 2017 terá como um dos pontos mais atractivos uma exposição dedicada a um dos “vultos da pintura barroca”, Josefa de Óbidos, cuja obra poderá ser vista no Palácio do Raio, até 20 de Outubro e que sem dúvida é o orgulho desta majestosa edição.

Para a vereadora da Cultura, Lídia Dias, o evento “cresceu de forma sustentada e com a parceria das instituições e associações do Concelho”. “

Já o edil reforçou que a Braga Barroca não surge por acaso, integrando uma estratégia de valorização patrimonial. “Ano após ano temos tido um programa que cresce em ambição e diversidade, demonstrando que esta foi uma aposta ganha por parte deste Executivo Municipal, desde logo pelo envolvimento das entidades parceiras, mas sobretudo pela receptividade que os Bracarenses tiveram desde a primeira edição”, salientou Ricardo Rio.

A Braga Barroca conta com as parcerias da Santa Casa da Misericórdia de Braga, a Biblioteca Pública, a BLCS, o Cabido Metropolitano da Sé, Conselho Cultural da UMinho, do Conservatório de Música Calouste Gulbenkian, da Irmandade de Santa Cruz, do Seminário de S. Pedro e S. Paulo e ainda do movimento associativo do Concelho que fazem da Braga Barroca um evento único e muito apelativo”, referiu Lídia Dias.

Consulte o programa da Braga Barroca 2017:

Share on Facebook15Tweet about this on TwitterShare on Google+0

Be first to comment