“Black Sea of Concrete” – Fragmentos duma Ucrânia encurralada

Na Ucrânia há um passado que resiste, que teima em permanecer. Na margem do Mar Negro, gigantescos blocos de cimento trazem à memória um país que ainda não se encontrou. Uma nação estilhaçada por conflitos, desmembrada por lutas sem fim, onde a sede de poder engole a razão e estagna o progresso. Aqui, nesta margem, os blocos cinzentos resistem ao bater das ondas, lembram o que não chegou a ser, mas impedem o que poderia vir a ser. Há em cada uma destas imagens uma nostalgia cinzenta, um vazio permanente que se confunde com a história dum povo encurralado entre o passado e o futuro numa paisagem que tresanda a esquecimento.

O fotógrafo polaco Rafael Milach desenvolveu este projecto documental em 2008. Durante mais de 10 anos trabalhou sobre questões de transição em países de língua Russa e na zona da CEE. Desse trabalho resultaram as monografias “The Winners” (GOST 2014), “7 Rooms” (Kehrer 2011) e “Black Sea of Concrete” (publicação de autor 2013). Em 2012 a galeria Czytelnia Sztuki publicou o livro “In the Car with R”, o registo da viagem de Rafal com o escritor Huldar Breidfjord, à volta da Islândia.

“Black Sea of Concrete” está em exposição no Museu Nogueira da Silva, inserido no Festival Encontros da Imagem. Passem por lá até dia 31 de Outubro.

Share on Facebook7Tweet about this on TwitterShare on Google+0

Be first to comment