“4 & 5”: A liberdade é um grito que se dança

De todas as qualidades humanas, a criatividade é seguramente um dos maiores gatilhos da evolução, uma arma certeira quando é preciso quebrar barreiras e suplantar obstáculos. Quem cria, arrisca, redefine metas, desbrava novos caminhos, descobre e…descobre-se. Tal como a mente, também o corpo tem segredos que importa explorar, limites e formas tão únicos como os seres que os ousam revelar. Este desejo de exploração e respeito pela individualidade de cada corpo é algo sagrado para Tao Ye, coreógrafo daquela que foi considerada pela Time Out New York como uma das 10 melhores companhias de dança de todo o mundo. A Tao Dance Theater faz a sua estreia em Portugal no magnífico palco do Theatro Circo com o espectáculo “4 e 5”, um hino visual a esta exploração dos corpos que sobe a palco dividido em duas partes, qual Yin e Yang, fases complementares, mas tão individuais e únicas como os corpos que lhes dão forma.

tao yeA dança entrou na vida de Tao Ye aos 12 anos, em forma de catarse.  Deprimido e revoltado pela violência doméstica que marcou a sua infância, foi pela dança que conseguiu gritar os sentimentos que a sua voz calava. Canalizar as emoções de modo não-verbal através de movimentos do corpo fez com que Tao percebesse que mais do que encontrar razões para esses movimentos, o importante era o processo em si.

Tao integra mais tarde o exército de libertação do povo (a maior força militar do mundo, com 2,3 milhões de soldados) e é aí que tem o primeiro contacto com a dança contemporânea através duma professora que colaborava com a prestigiada escola de dança Shanghai Jin Xing.  Impressionado com os métodos de trabalho introduzidos pela professora, Tao percebe que este é definitivamente o seu caminho.

taoAnos mais tarde, o coreógrafo continua a optar não definir a dança, razão pela qual não dá nomes, mas antes números, aos seus espectáculos. As palavras podem influenciar o espectador, criar expectativas por isso quem vai assistir aos seus trabalhos chega sempre virgem à sala de espectáculos.

Ainda assim arriscamos duas palavras para definir “4 e 5” : minimalismo hipnótico.  Se na primeira parte, 4 bailarinos movem-se num virtuosismo alucinante sem nunca se tocar, na segunda há 5 corpos fundidos num só numa coreografia tão mecânica como harmoniosa, verdadeiro deleite para os sentidos.

Theatro Circo | Sala Principal | Sexta, dia 29 Abril 21.30 | 15€ (7,5€ Quadrilátero)

 

Share on Facebook26Tweet about this on TwitterShare on Google+0

Be first to comment